Precariedade na Casa de Acolhida

Crianças, mulheres e homens em condições precárias de estrutura e higiene. Esse foi o quadro encontrado por Elias Vaz na Casa de Acolhida. Em dezembro, o vereador, na condição de presidente da Comissão da Criança e Adolescente da Câmara, em conjunto com entidades ligadas à defesa dos direitos da Criança e do Adolescente e Pastoral de Rua, fizeram uma visita à entidade, destinada ao acolhimento de pessoas em situação de rua ou com dificuldades de conseguir estadia até retornarem para a cidade de origem. Ao chegar ao local, a equipe se deparou com uma situação degradante.
“Crianças, mulheres e homens, usavam o mesmo banheiro em condições precárias de estrutura e higiene. Além disso, dezenas de pessoas tomavam água no mesmo copo. Uma situação humilhante” relata Elias. A imprensa acompanhou a visita e revelou quartos superlotados, um ambiente fétido com crianças colocadas em situação de risco, próximas a fios desencapados, janelas com vidros quebrados e comida vencida na despensa.
Algumas mães abrigadas nas casas denunciaram que eles estavam servindo leite estragado para os filhos. Muitos estavam ali há mais de um mês apenas aguardando auxílio da passagem para retornar à cidade de origem.
Além da precariedade, chamou atenção da equipe a ociosidade de quem estava lá. A casa deveria ser de “passagem”, local onde pessoas desabrigadas deveriam receber atendimento básico nas áreas médica, educativa e profissional para o restabelecimento e reinserção social. “Esse local deveria servir como ponto de equilíbrio para o cidadão se organizar e voltar a ter uma vida normal, mas, nessas condições, a Casa acaba reforçando o preconceito e perpetuando uma situação de dependência e retorno às ruas” destaca Elias.
O QUE FOI FEITO: Apesar de entidades sociais já terem denunciado o caso, Elias Vaz encaminhou mais uma vez o relatório sobre os problemas encontrados à Secretaria Municipal de Assistência Social de Goiânia (Semas).
RESULTADO: A Secretária da Semas se comprometeu a fazer as melhorias necessárias na casa. O vereador continuará acompanhando o caso e lutando para que haja investimentos no setor.