Comissão engaveta pedido de Elias de auditoria em gastos com cartão corporativo

Quase dois meses já se passaram desde que o deputado federal Elias Vaz (PSB-GO) apresentou requerimento  à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara Federal solicitando auditoria nos gastos com cartão corporativo da Presidência da República e o pedido continua engavetado.  O presidente da Comissão, Léo Motta (PSL-MG), nomeou a si mesmo para a relatoria no dia 6 de novembro e desde então interrompeu a tramitação do requerimento. 

“Ele é fiel ao presidente, então se nomeou relator e não colocou sequer o requerimento para apreciação. A estratégia é engavetar, atendendo certamente a um pedido superior”, denuncia Elias Vaz, vice-líder do PSB na Câmara.

No documento, o deputado pede que o Tribunal de Contas da União (TCU) realize auditoria nos cartões corporativos e defende a necessidade de transparência dos gastos.  “Por que a Presidência está querendo sigilo em gastos de mais de R$ 14 milhões só neste ano? Pode até ter sigilo em algo que pode interferir na questão da segurança, mas o presidente está colocando sigilo em tudo”, explica Elias.