Comissão de Minas e Energia aprova requerimento do deputado Elias Vaz para tratar acordo entre Brasil e Paraguai

A Comissão de Minas e Energia (CME) aprovou por unanimidade nesta quarta-feira (14) o requerimento do deputado Elias Vaz (PSB-GO) que solicita a presença do Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, do diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, general Joaquim Silva e Luna, e do empresário Alexandre Luiz Giordano para esclarecerem o acordo entre Brasil e Paraguai.

“Precisamos saber o que aconteceu exatamente nesse caso. A administração pública deve agir com transparência. A sociedade brasileira precisa de uma satisfação”, afirmou o deputado Elias Vaz.

Em julho, o jornal paraguaio ABC publicou denúncias sobre supostas irregularidades na renegociação do acordo entre Brasil e Paraguai diante da comercialização de energia gerada pela usina de Itaipu. O caso ainda resultou em uma apresentação de pedido de impeachment contra o presidente paraguaio, Mario Abdo.

A suspeita envolvendo o Brasil é de que, por trás do sigilo da renegociação, haveria o interesse de favorecer a empresa brasileira Léros Comercializadora, ligada à família de Bolsonaro. A Léros teria contato com a ajuda do empresário Alexandre Luiz Giordano, que é suplente do senador e líder do PSL na Casa, Major Olímpio (PSL-SP). De acordo com a imprensa paraguaia, Giordano teria falado em nome da família do presidente para pressionar pelas mudanças no acordo entre os países.

Durante a reunião da CME, também foram aprovados os requerimentos do deputado Carlos Zarattini (PT-SP), nos quais constavam pedidos em comum aos do requerimento feito por Elias Vaz. Zarattini convidou o Chanceler Ernesto Araújo e o diretor-geral brasileiro da Itaipu Nacional, general Joaquim Silva e Luna. Além deles, Zarattini também solicitou a presença do Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, para se posicionar sobre o caso.