Comissão da Câmara aprova pedido de Elias de auditoria do TCU em gastos do cartão corporativo da presidência

A Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara Federal aprovou por unanimidade nesta terça-feira (25) a PFC 36/2019, apresentada pelo deputado federal Elias Vaz (PSB-GO). A Proposta de Fiscalização e Controle é uma espécie de auditoria do Tribunal de Contas da União e tem como alvo os gastos do cartão corporativo da presidência.

“Essa Comissão mostrou que tem compromisso com a transparência. O cidadão tem o direito de saber como é gasto o dinheiro público. Quando era deputado, Bolsonaro criticava os gastos com cartão corporativo e a falta de transparência do governo. Agora faz o mesmo. As despesas com o cartão estão aumentando ano a ano, passando de R$1 milhão por mês. Exemplo disso foram os altos gastos com as férias do presidente. Precisamos de uma auditoria rigorosa do TCU para saber onde estão indo parar esses milhões do cartão corporativo da presidência”, afirmou Elias Vaz.

O parlamentar apresentou o requerimento em outubro de 2019. Um mês depois, o então presidente da Comissão e aliado de Bolsonaro, Léo Motta (PSL-MG), tomou uma decisão no mínimo incomum e se tornou o relator da PFC 36. Resultado: ficou envagetada. Só neste ano, o novo presidente da Comissão, Áureo Ribeiro (SDD-RJ), deu andamento ao pedido. Os parlamentares acataram o parecer do relator, Kim Kataguiri (DEM-SP), pela aprovação. “É válido reconhecer os efeitos benéficos para a sociedade da fiscalização dos gastos públicos. Importa analisar se os recursos federais foram empregados de acordo com a legislação em vigência”, destacou o relator.